Catarinense entra para o Guinness como o digitador de SMS mais rápido do mundo



Marcel Fernandes Filho entrou para o Livros dos Recordes após digitar 160 caracteres na tela de um smartphone em 18,19s.


Você é daqueles que odeia quando seu BFF demora séculos para responder uma mensagem no WhatsApp? Quem troca mensagens com o catarinense Marcel Fernandes Filho não tem esse problema. O estudante de 18 anos entrou para o Guinness Book no fim de abril por ser o digitador mais rápido de SMS em um smartphone.

(O catarinense digita em smartphones desde 2009, quando perdeu o computador.)

A convite da empresa Fleksy, que produz teclados para smartphones, o estudante de física foi a Nova York para quebrar o recorde. Em 18,19 segundos, Marcel digitou 160 caracteres na tela de um Galaxy S5 e garantiu seu nome no livro dos recordes, superando a marca anterior de 18,44 segundos.

Apesar de parecer fácil, não é qualquer um que consegue digitar nessa velocidade -- e não existe um segredo para ser o mestre da digitação. “Não tenho nenhum tipo de técnica”, garantiu o catarinense em entrevista por telefone ao iG.

Marcel adquiriu essa habilidade após anos de treino involuntário. “Digito em smartphone desde 2009, quando meu computador quebrou e eu não tive outra opção além de fazer tudo pelo celular”, conta o recordista. Quando diz que fazia tudo pelo celular, o catarinense não exagera: ele usava o aparelho para tarefas que iam desde se comunicar com os amigos por mensagens a escrever redações. “Minha habilidade se desenvolveu por uma necessidade”, diz.

No ano passado, o estudante reverteu essa técnica em algo que o traria bons frutos. Ele se inscreveu em um concurso de digitação promovido pela Fleksy e ganhou um Samsung Galaxy S4 depois de bater centenas de adversários. Na ocasião, ele digitou os 160 caracteres em 17,40 segundos -- um tempo ainda menor do que o do recorde. “Mas no concurso eu podia usar o corretor automático, o que o Guinness não permite”, explica.

Depois de chamar atenção no campeonato, Marcel recebeu o convite de quebrar o recorde oficialmente e não teve dúvidas na hora da resposta. “Li o e-mail e aceitei na hora”, conta. E o final todo mundo já sabe: ele quebrou a marca em sua 10ª tentativa, apesar de ter chances infinitas de bater a marca. “Eu sempre fui fascinado pelo Guinness, por esses recordes, e nunca imaginei que um dia estaria lá”, diz.

Além de visibilidade e orgulho, o feito de Marcel o trouxe algo muito importante: o reconhecimento dos pais. “Antes de eu quebrar o recorde meus pais não eram muito fãs de eu ficar o dia inteiro no celular”, admite o estudante. “Hoje eles já não se importam tanto”, comemora.


FONTE: IG JOVEM

‹ Anterior Proxima › Página inicial